quinta-feira, maio 18, 2017

Moisés: do deserto ao palácio com honra e poder


 .
Pirâmides de Gizé
João Cruzué

Fico pensando nas grandes surpresas que Deus preparou na vida de Moisés até transformá-lo em um líder abençoado, humilde e vitorioso. Moisés. Como uma águia nascida para voar alto sobre vales e montes, enquanto  não conheceu Deus  bem de perto,  Moisés nada pode fazer. Do palácio ao deserto. E do deserto de volta ao palácio depois dos 80 anos de idade. Moisés foi um milagre: Um vaso que Deus quebrou, amassou e tornou moldar, para conduzir Israel do Egito para o deserto. E do deserto para a boa Terra de Canaã


Tinha todas as probabilidades para ser mais um velho rabugento e murmurador, mas isto não aconteceu. Ele renovava suas forças quando ouvia a voz de Deus ordenando para que ele continuasse tentando. Quero dedicar essa mensagem a meus amigos e irmãos que moram ou trabalham fora do Brasil. Que a presença do Senhor possa alegrar seu coração com esta despretensiosa leitura. Em frente.

Estratégias de uma  Mãe: Quando Moisés nasceu, estava destinado à morte. Mas não foi morto. Sua mãe era uma mulher de oração. Quando todas as outras mães atiravam seus meninos no Nilo para cumprir o decreto do faraó, ela não afogou seu filho. 

Ela cumpriu a lei, mas antes pôs Moisés num cesto. 

Aquele cesto vagando sobre as águas do Nilo tem um significado para este próximo Dias das Mães: Que são os cuidados constantes de uma mãe por seus meninos nessa descida pelo "Nilo" de uma sociedade violenta, corrupta e egoísta.

Mas um cesto de junco afundaria em pouco tempo, encharcado. Cuidar com responsabilidade é bom, mas não foi apenas com betume que o cesto de Moisés  não afundou. As orações de sua mãe  eram mais eficientes que o betume. Por isso, a mãe que separa  tempo diário para orar pelos filhos agrada mais a Deus. 

Outro dia ouvi um Pastor criticando mulheres que passam o dia orando na Igreja enquanto seus filhos estão na rua com péssimas companhias. Fiquei pensando, se orando elas têm problemas - o que se dirá, então, daquelas que ficam apenas em casa ralhando com os filhos a afugentá-los para rua?

Deus tem muitas promessas de bênçãos para os filhos, mas por outro lado o diabo está constantemente semeando o joio para destruir o cumprimento  delas. A mãe de Moisés foi criativa com o cesto, mas por que orava, ouviu a voz de Deus, e  por um pensamento que veio à mente, não se esqueceu do betume. Quem se dedica na oração não é pego desprevenido. 

Recentemente, uma de minhas cunhadas, mulher de oração, descobriu, ao fazer simples exames no hospital, que sua taxa de glicose andava beirando 900. Admiraram-se de vê-la de pé e enxergando.

Você já examinou se os "cestos" de seus filhos não estão afundando?

A primeira grande surpresa da mãe de Moisés foi que ao nascer ele era formoso de aparência. Um bebezinho lindo. A segunda surpresa foi que em lugar de ter morrido afogado no Rio Nilo, ele cresceu, estudou e se formou nos palácios do faraó. A terceira surpresa foi quando tentou usar a força para libertar Israel,  e teve que fugir do Egito para não ser morto. A temporada de mudanças apenas começara. Do palácio ao deserto. E no deserto por 40 anos. Uma mudança e tanto.

Para você que está longe do Brasil se anime.  É mais fácil encontrar presença de Deus no deserto que no conforto dos palácios, da casa dos pais, dos familiares...

Para mim, o versículo mais apropriado para enfrentar o deserto é Jeremias 33:3: " 

Clama a mim, e responder-te-ei, 
e anunciar-te-ei coisas grandes e firme,
que não sabes"

 Isso aconteceu com grandes personagens bíblicos - desde Abraão. Prepare-se andar nos propósitos de Deus. A verdadeira prosperidade é espiritual, em decorrência dela vem a prosperidade financeira definitiva. O que Deus lhe der, ninguém pode tirar. Por isso é melhor buscar a presença do Senhor. Isto significa, fora com as "baladas" e amizades duvidosas, que vão tirar você do alvo. Então, vamos voltar ao assunto principal.

Quarenta anos se passaram. 

Dos palácios do Egito para a poeira, sol durante o dia  e frio da noite do Deserto do Sinai. Quem diria? Promessas de Deus depois de 80 anos?... Ele nem pensava mais nisso. Mas aí veio a última e grande surpresa: No terço final da vida, já com oitenta anos, Deus aparece na sarça ardente e provoca Moisés para voltar ao Egito. A mesma missão: Libertar o Povo de Israel. Daquela antiga força, só restava o desânimo.

-Vem Moisés e Eu te enviarei! Disse Deus.

-Não Senhor, eu não sou libertador de coisa nenhuma. Não acredito mais em velhas promessas. Agora sou apenas um velho, e se eu for, o povo vai se rir de min, vão me achar um louco com uma bengala de apoio nas mãos. Não quero ir, não estou mais interessado, por mim Israel pode continuar escravo pelo resto da vida. Escolha outro para ir em meu lugar.

Nessa altura, Deus se irritou com Moisés e o forçou a descer ao Egito.

E, dois velhos gagás desceram ao Egito: Moisés com 80 anos e Arão com 83. Milhares de jovens judeus estavam lá, mas a promessa do libertador de Israel era para um velho: Moisés. Deus tinha um plano especial com Moisés - e operando Deus, quem impediria?

E o plano do
 Senhor para sua vida ainda está de pé.

Ao chegar no Egito, Moisés e Arão, foram primeiro convencer o povo escravo de que Deus estava atento ao clamor deles, que estava ciente daquela horrível escravidão. Tendo convencido o povo, foram ao palácio do faraó.

-Faraó, o Deus de Israel encontrou seu povo e quer que saiamos ao deserto para celebrar uma festa para Ele. E o faraó respondeu: Quem é o senhor cuja cuja voz ouvirei para deixar ir o povo? Não conheço esse Deus e não deixarei o povo ir. E disse mais faraó: Esse povo está ocioso, é por isto que inventaram essa história de celebrar festa no deserto. Antes se fornecia palha para fazer os tijolos, agora que se virem e também arranjem a palha. E a quota da produção diária dos tijolos sera exigida. Se não cumpri-la mandarei açoitar os líderes do povo. E Parem de perturbar o trabalho dos outros.

E foi assim que deu tudo errado. A escravidão piorou com os açoites e o excesso de trabalho. Assim, até o próprio povo judeu se amargurou contra Moisés, porque diziam: A espada que faltava para faraó nos matar, você Moisés, com essa história de Deus, acabou de arranjar.

E tendo Moisés ido orar e reclamar com Deus, ouviu novamente o Senhor dizer: Vai Moisés, para de reclamar e entra de novo no palácio e dize a Faraó: Deixa o povo de Israel sair da sua terra.

- Mas Senhor, se nem o povo de Israel acredita em mim, como vai me ouvir o faraó? Vai Moisés, agora vou te por por Deus de faraó e Arão, seu irmão, será o teu profeta.

E ele foi. Desanimado, desacreditado, mas foi. E falou a faraó. E a certa altura do seu encontro com faraó, três cobras rastejavam pelo chão do palácio. Uma era de Moisés e duas dos feiticeiros do faraó. E aconteceu que estando faraó e seus súditos certos do massacre, a cobra de Moisés engoliu as outras duas. E naquele dia, Moisés voltou para casa alegre e pelo caminho conversava com Arão.

-Você viu Moisés como os magos do Egito também sabem transformar varas em cobras?

-Sim Arão, mas isto não me preocupa mais, porque hoje eu vi uma outra coisa.

-O que foi que você viu Moisés?

-Eu Vi que , hoje, o Senhor começou mudar minha vida. A partir do momento que as duas cobras de faraó foram engolidas, deixei de ser um velho derrotado e estou pronto para sonhar de novo, porque agora sei que o Senhor vai cumprir todas as promessas Dele em minha vida.

E foi assim que o menino do cestinho betumado veio a ser o Libertador de Israel. Aquele que depois de velho, foi escolhido e teve o privilégio, a honra, de por o pé sobre o "pescoço" do faraó - Deus do Egito - e tirar o povo da escravidão fortalecido pela mão do Senhor.

Isaías 40:30-31:


"Os jovens se cansarão e se fatigarão, e os jovens certamente cairão. Mas os que esperam no SENHOR renovarão as suas forças e subirão com asas como águias; correrão e não se cansarão; caminharão e não se fatigarão".

Acredite sempre na próxima oportunidade. Depois do deserto, vem o tempo de andar com Deus em grandes palácios.



.

Ives Gandra Martins critica o ativismo dos ministros do STF

.
.
'A CONSTITUIÇÃO "CONFORME" O STF'

Foto: Fecomércio/SP
Professor Ives Gandra da Silva Martins
.
IVES GANDRA DA SILVA MARTINS

Escrevo este artigo com profundo desconforto, levando-se em consideração a admiração que tenho pelos ministros do Supremo Tribunal Federal brasileiro, alguns com sólida obra doutrinária e renome internacional. Sinto-me, todavia, na obrigação, como velho advogado, de manifestar meu desencanto com a sua crescente atuação como legisladores e constituintes, e não como julgadores.

À luz da denominada "interpretação conforme", estão conformando a Constituição Federal à sua imagem e semelhança, e não àquela que o povo desenhou por meio de seus representantes.

Participei, a convite dos constituintes, de audiências públicas e mantive permanentes contatos com muitos deles, inclusive com o relator, senador Bernardo Cabral, e com o presidente, deputado Ulysses Guimarães.

Lembro-me que a ideia inicial, alterada na undécima hora, era a de adoção do regime parlamentar. Por tal razão, apesar de o decreto-lei ser execrado pela Constituinte, a medida provisória, copiada do regime parlamentar italiano, foi adotada.

Por outro lado, a fim de não permitir que o Judiciário se transformasse em legislador positivo, foi determinado que, na ação de inconstitucionalidade por omissão (art. 103, parágrafo 2º), uma vez declarada a omissão do Congresso, o STF comunicasse ao Parlamento o descumprimento de sua função constitucional, sem, entretanto, fixar prazo para produzir a norma e sem sanção se não a produzisse.

Negou-se, assim, ao Poder Judiciário, a competência para legislar.

Nesse aspecto, para fortalecer mais o Legislativo, deu-lhe o constituinte o poder de sustar qualquer decisão do Judiciário ou do Executivo que ferisse sua competência.

No que diz respeito à família, capaz de gerar prole, discutiu-se se seria ou não necessário incluir o seu conceito no texto supremo -entidade constituída pela união de um homem e de uma mulher e seus descendentes (art. 226, parágrafos 1º, 2º, 3º, 4º e 5º)-, e os próprios constituintes, nos debates, inclusive o relator, entenderam que era relevante fazê-lo, para evitar qualquer outra interpretação, como a de que o conceito pudesse abranger a união homossexual.

Aos pares de mesmo sexo não se excluiu nenhum direito, mas, decididamente, sua união não era -para os constituintes- uma família.

Aliás, idêntica questão foi colocada à Corte Constitucional da França, em 27/1/2011, que houve por bem declarar que cabe ao Legislativo, se desejar mudar a legislação, fazê-lo, mas nunca ao Judiciário legislar sobre uniões homossexuais, pois a relação entre um homem e uma mulher, capaz de gerar filhos, é diferente daquela entre dois homens ou duas mulheres, incapaz de gerar descendentes, que compõem a entidade familiar.

Este ativismo judicial, que fez com que a Suprema Corte substituísse o Poder Legislativo, eleito por 130 milhões de brasileiros -e não por um homem só-, é que entendo estar ferindo o equilíbrio dos Poderes e tornando o Judiciário o mais relevante dos três, com força para legislar, substituindo o único Poder que reflete a vontade da totalidade da nação, pois nele situação e oposição estão representadas.

Sei que a crítica que ora faço poderá, inclusive, indispor-me com os magistrados que a compõem. Mas, há momentos em que, para um velho professor de 76 anos, estar de bem com as suas convicções, defender a democracia e o Estado de Direito, em todos os seus aspectos, é mais importante do que ser politicamente correto.

Sinto-me como o personagem de Eça, em "A Ilustre Casa de Ramires", quando perdeu as graças do monarca: "Prefiro estar bem com Deus e a minha consciência, embora mal com o rei e com o reino".


-.-


IVES GANDRA DA SILVA MARTINS, 76, advogado, professor emérito da Universidade Mackenzie, da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército e da Escola Superior de Guerra, é presidente do Conselho Superior de Direito da Fecomercio e participante nas audiências públicas de elaboração da Constituição Cidadã de 1988.


Fonte: Jornal Folha de São Paulo, 20 de maio de 2011, página A3.






A conversão do pastor chinês Watchman Nee

.

CONVERSÃO E INÍCIO DO MINISTÉRIO


Tradução: João Cruzué

"Meu nascimento foi em resposta de uma oração. Minha mãe tinha muito medo de que sucedesse a ela o mesmo que acontecera a sua cunhada que tivera seis filhas, o que segundo os costumes chineses era ruim, pois meninos eram os mais desejados. Mamãe já tivera duas meninas, e embora não entendesse completamente o compromisso de uma oração, ela orou ao Senhor e disse: “Se o Senhor me der um filho, eu lho darei de volta de presente". E, o Senhor ouviu sua oração, e eu nasci. foi meu pai que mais tarde me dissera que antes do meu nascimento minha mãe tinha-me prometido ao Senhor".

Para muitas pessoas, a característica proeminente de ser salvo é o ato de ser liberto do pecado. Entretanto, para mim a questão era se eu aceitaria Jesus e me tornaria seu seguidor e um servo ao mesmo tempo. Eu Fiquei assustado porque se me tornasse um cristão então eu seria chamado para servir a Cristo, e isto iria custar muito caro para mim. Conseqüentemente, o conflito foi resolvido assim que eu percebi que minha salvação deveria ter os dois aspectos. Então, decidi aceitar Cristo como meu Salvador e servi-lo como meu Senhor. Isto foi em 1920, quando tinha 17 anos de idade.

"Na tarde de 29 de abril de 1920, eu estava sozinho em meu quarto lutando para decidir se deveria ou não crer em Cristo. Primeiro, eu estava relutante, mas assim que tentei orar, vi a magnitude dos meus pecados e a realidade, a eficácia de Jesus como Salvador. Assim que eu visualizei as mãos do Senhor estendidas sobre a cruz, elas pareciam me envolver e vi o Senhor dizer: Eu estava aqui esperando por você!

Observando efetivamente o sangue de Cristo limpando meus pecados e cobrindo me de tanto amor eu o aceitei ali mesmo em meu quarto. Anteriormente, eu havia rido das pessoas que aceitavam Jesus, mas naquela tarde, a experiência se tornou também real para mim, e eu chorei, e confessei meus pecados, procurando pelo perdão do Senhor. Assim que fiz minha primeira oração, eu conheci uma alegria e paz tais, que eu nunca tinha experimentado antes. Uma luz parecia fluir no quarto e eu disse ao Senhor: Jesus, o Senhor tem sido deveras misericordioso para comigo."

Depois que me tornei um salvo em Cristo, enquanto meus colegas traziam novelas para ler em classe, eu levava a Bíblia para estudar. Mais tarde, eu deixei a Faculdade para entrar em um Instituto Bíblico, sediado em Xangai criado pela irmã Dora Yu. No começo, por muitas vezes, ela muito educadamente tentou me expulsar do instituto com a explicação de que era inconveniente para mim ficar ali mais tempo. Na realidade era por causa de meu exigente apetite, roupas diletantes e costume de me levantar muito tarde pelas manhãs. Ela queria me mandar embora. Meu desejo de servir a Deus tinha levado um sério revés.

Embora eu pensasse que minha vida tinha sido transformada, de fato permaneciam muitas e muitas coisas que precisavam ser mudadas. Percebendo que eu ainda não estava pronto para o serviço do Senhor, decidi voltar a escola secular. Meus colegas de classe reconheceram que algumas coisas tinha alterado em minha vida mas que existiam muitas outras que ainda permaneciam em meu velho temperamento . Por isso, meu testemunho na escola não era muito poderoso, e quando pela primeira vez dei meu testemunho para o irmão Weigh, ele não me deu atenção.

Seguindo minha nova natureza de salvo já havia muitas mudanças e todo um planejamento de mais de dez anos se tornou sem significado e minhas ambições de uma brilhante carreira já estavam sendo descartadas. A partir daquele dia com uma inegável certeza do chamado de Deus, eu sabia qual deveria ser carreira da minha vida. Eu entendi que o Senhor tinha me escolhido para si, para minha própria salvação e para sua glória. Ele tinha me chamado para servi-lo e para ser seu amigo-operário.

Antes eu desprezava pregadores e pregações porque naqueles dias eles eram assalariados dos missionários americanos ou europeus, e por este serviço ganhavam deles míseros oito ou nove dólares de prata por mês. Eu nunca imaginaria, nem por um momento, que me tornaria um pregador, uma profissão a qual eu considerava tão insignificante.

Depois de me tornar um cristão, tive espontaneamente um desejo de levar outras pessoas para Cristo, mas depois de um ano de testemunho e testemunhando para meus colegas de escola secular, não havia nenhum resultado visível. Eu pensava que mais palavras e mais razões seriam eficientes, mas meu testemunho parecia não ter um efeito poderoso sobre as pessoas.

Tempos mais tarde, encontrei uma missionária da Região Oeste, a irmã Grose, que me perguntou quantas pessoas tinham sido salvas através de mim naquele primeiro ano. Eu abaixei minha cabeça e vergonhosamente confessei que a despeito de minhas tentativas de pregar o evangelho para meus colegas, nenhum deles tinha se convertido.

Então, ela me disse francamente que deveria existir alguma coisa errada impedindo minha comunicação com o Senhor. Talvez fosse um pecado escondido, dívidas ou algum outro impedimento. Admiti que tais coisas existiam e ela me arguiu se estava disposto resolvê-las, imediatamente. Concordei. A seguir me perguntou como dava meu testemunho e eu lhe disse que escolhia as pessoas ao acaso e lhes falava a respeito do Senhor, se elas mostrassem algum interesse. Ao que a missionária me ensinou que eu deveria fazer uma lista e orasse por meus amigos primeiro, enquanto aguardasse pela oportunidade de Deus para testemunhar para eles.

Imediatamente, comecei a colocar minha vida em ordem para eliminar os problemas que impediam minha comunhão com o Senhor. Ao mesmo tempo, fiz uma lista com o nome de setenta amigos com o propósito de orar por eles diariamente. Alguns dias eu orava a cada hora, até na sala de aula. Quando as oportunidades vieram eu tentava persuadi-los a crer no Senhor Jesus. Meus colegas freqüentemente diziam jocosamente, lá vem o Sr. pregador, vamos ouvir sua pregação... Embora de fato, eles não tivessem a mínima intenção de ouvir.

Eu contei, depois, meu fracasso a irmã Grose e ela me persuadiu a continuar orando até que algum deles fosse salvo. E, com a graça do Senhor continuei orando diariamente, e depois de vários meses, todas, com exceção de uma, das setenta pessoas daquela lista foram salvas

Frases de Watchman Nee:"A menos que sejamos tratados e quebrantados por meio da disciplina, estaremos restringindo o poder de Deus. Sem o quebrantamento do homem exterior, a igreja não pode ser um canal de Deus".

Em sua última carta, escrita no dia de sua morte: "Apesar da minha doença, ainda continuo cheio de alegria em meu coração." 
http://www.watchmannee.org
/


Última nota: Nee tinha um espinho na carne controlado pela graça de Deus. Desde 1924, ele era tuberculoso. Sobre esse assunto, estive olhando o material e pude ver que a luta de Nee em oração contra essa doença é de uma inspiração e edificação maravilhosas. Ele dependia do Senhor, todo dia, para viver por causa da doença. Viveu com ela 48 anos. Deve demandar umas duas semanas de tradução. Orem por mim, pois gostaria de compartilhar essa bênção com meus leitores.

Comentários: quando olho para as fotos deste chinês, meus olhos ficam molhados. Para ser cristão na China, naquela época, tinha que desprezar a própria vida. Ele sabia o preço e não negociava. Quando quiseram libertá-lo, em 1968, com a condição de nunca mais pregar o nome de Jesus, ele não aceitou e assim o mantiveram no cárcere até à morte. Quando for da próxima vez a uma livraria cristã, não perca tempo. Watchman Nee escreveu sobre aquilo que vivenciava.

Agora veja 90 fotos aqui da Igreja Evangélica da China



Fonte de pesquisa do testemunho








.

quinta-feira, maio 11, 2017

O Profeta Ezequiel e a doutrina da predestinação


Rolos sagrado
João Cruzué

Há muito, tenho ouvido esta assertiva calvinista: Uma vez salvo, salvo para sempre! O homem nada fez para ser salvo e nada precisa fazer para manter a sua salvação. O ensino da salvação absoluta. Eu sei que na Bíblia tem pontos difíceis. Um deles é Romanos 9;13 - Amei a Jacó e aborreci Esaú. Será que Deus olhou para os dois e, de repente, simpatizou-se com Jacó e não foi com a "cara" de Esaú? Vamos ver isto mais de perto, passando pelo capítulo 33 do Livro do Profeta Ezequiel.

Muitos pregadores crucificam o caráter de Jacó com suposições sem fundamento. Será que Jacó era mesmo um enganador, tanto quanto Abrão era um mentiroso?  Não é propósito deste texto tratar desta questão, considerando que os feitos  dos dois falam por si. O coração de Jacó einclinava-se para o sagrado, enquanto que o de Esaú era profano. Mundano. Quando arranjou duas mulheres heteias, formou um lar dentro de um conceito de família reprovável. As duas foram fontes de amargura para os sogros. Mas, o que mais pesou no coração de Deus para aborrecer a Esaú, provavelmente, foi o desprezo deste pela bênção da primogenitura.

Estive meditando por esses dias no livro do Projeta Ezequiel. Mais precisamente no capítulo 33. Se por um lado, Filipenses 1:6 diz que "Estou certo, que aquele que começou a boa obra em vós, a aperfeiçoará até o dia do Senhor Jesus, no capítulo 33 de Ezequiel, entre outras coisas, está escrito assim:

EZEQUIEL 33:13
"Quando eu disser ao justo
Que certamente viverá,
E ele, confiado na sua justiça,
Praticar a iniquidade,
Não virão a minha memória
Todas as justiças,
Mas na sua iniquidade
que pratica, morrerá."

EZEQUIEL 33:14
"E quando eu disser ao ímpio:
que: Certamente morrerás;
Se ele se converter do seu pecado,
e fizer juízo e justiça,
Restituindo o penhor,
Pagando o furtado,
Andando nos estatutos da vida
e não praticando iniquidade
certamente, viverá,
E não morrerá!"


Por isso, meu entendimento ainda continua assim: 

A salvação é de graça, e pela graça. Deus, olhando a terra e os homens na miséria do pecado, decidiu descer até aqui para trazer a sua graça, abaixando-se até nosso nível. E uma vez tendo sido perdoados e salvos, os frutos seriam uma consequência natural.  Mas a salvação proposta por Deus não é uma reta de chegada mas um caminho a ser percorrido. A porta é Jesus. E, depois da porta segue-se o caminho estreito. A salvação é recebida de graça e  mantida pela graça, mas também pode ser perdida, se de nossa parte desprezarmos a justiça, abandonarmos a santidade e perdermos a comunhão com o Espírito Santo.





.






sexta-feira, maio 05, 2017

Eleições CGADB - Resultado da Audiência Especial de 04.maio.2017



João Cruzué,

(Em primeira mão)

OPINIÃO DO BLOGUEIRO: Se o laudo da perícia  da empresa TPL - The Perfect Link não revelar falhas graves que possam ter maculado o processo eleitoral da Mesa Diretora da CGADB abril/2017, o resultado das eleições - já divulgado - vai ser referendado pela Justiça. Foi esta linha de pensamento que pode ter norteado o despacho da magistratura. A petição dos autores da ação,  no sentido de realizar novas eleições não foi abrigada. Por fim, o magistrado decidiu de acordo com seu entendimento inicial, de não se imiscuir em assuntos internos da Convenção. Neste sentido, a judicialização do caso só vai lograr êxito se a perícia determinada pela justiça revelar eventuais falhas graves (fraudes) que maculassem o processo eleitoral.

Durante a audiência, os autores da ação peticionaram a realização de novas eleições, evidentemente, aspirando o cancelamento do pleito realizado no final de abril/17. Por outro lado, a chamada ré - a CGADB  propugnou por uma auditoria independente do processo eleitoral, dentro dos parâmetros da justiça. Esta sugestão foi abrigada pelo Juiz que optou pela realização de uma  perícia, a cargo da empresa de auditoria e perícia forense TPL - The Perfect Link .

Meu entendimento, se forem detectados vícios graves pela perícia no processo eleitoral, vai ser a esculhambação definitiva da CGADB como entidade representativa da Igreja. Todavia, se nada de grave for encontrado, o pastor José Wellington Bezerra da Costa Júnior pode ser declarado vencedor. Ele vai se fortalecer na instituição, enquanto que, de maneira inversa,  a oposição do Pastor Câmara vai minguar e desaparecer do cenário político religioso da Igreja Assembleia de Deus. Ponto.



Agora, segue o texto da pesquisa efetuada, e editada,  por mim no portal do TJRJ:

Processo: 0004747-71.2017.8.19.0202

Tipo do Movimento:
Audiência Especial


Descrição:
PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA COMARCA DA CAPITAL 1ª VARA CÍVEL - REGIONAL DE MADUREIRA TERMO DE AUDIÊNCIA ESPECIAL DE CONCILIAÇÃO PROCESSO Nº: 0004747-71.2017.8.19.0202 AUTOR: ISAMAR PESSOA RAMALHO Adv: SORAYA RIBAS SAMPAIO BARROS - OAB/RJ 146.178 Adv: IGOR LEONARDO ALVES SOARES DA SILVA - OAB/RJ 185.195 RÉU: CGADB Adv: PAULO RODRIGUES DE MORAIS - OAB/SP 157.961 Adv: ABIEZER APOLINARIO DA SILVA - OAB/RJ 838 Adv: DAFNIS GOMES DA SILVA - OAB/RJ 201.074 Adv: JORGE HELIO CHAVES DE OLIVEIRA - OAB/DF 49.073 Adv: RICARDO PEREIRA GOIS - OAB/BA 21.456 Adv: PATRICIA DE SOUZA GONÇALVES - OAB/RJ 162.423 Adv: ARTHUR CARLOS LESSA FILHO - OAB/ES 6.665 RÉU: JOSÉ WELLINGTON BEZERRA DA COSTA JUNIOR Adv: MURILO VINHAL RODRIGUES - OAB/GO 40.377 PROCESSO Nº: 0084255-87.2017.8.19.0001 AUTOR: ROBERTO SOUZA DA SILVA AUTOR: JOÃO GOMES Adv: CLAUDIO RENATO DE LIMA DIAS - OAB/RJ 118.975 Adv: VALSUI CLAUDIO MARTINS - OAB/AM 2.905 Adv: CAROLINA SALLES SIMONI - OAB/RJ 199.979 Adv: ALLAN BARCELLOS LUIZ DE OLIVEIRA - OAB/RJ 157.422 RÉU: CGADB RÉU: SCYTL SOLUÇÕES DE SEGURANÇA E VOTO ELETRÔNICO LTDA Adv: ANDREA ZOGHBI BRICK - OAB/RJ 94.630 Adv: CAROLINE FORTUNATO DOS SANTOS VENTUROLI - OAB/DF 27.961 

Aos 04/05/2017, na sala de audiências deste juízo, foi aberta a audiência especial de conciliação às 14h00 horas. Ao pregão, responderam as partes e seus patronos. Foram ouvidos informalmente as partes através de seus advogados, bem como técnicos da auditoria independente e da auditoria realizada pelo representante de um dos candidatos às eleições. Nesse mesmo sentido, foi ouvido informalmente a representante da empresa SCYTL. 

Pelo autor ISAMAR PESSOA RAMALHO foi dito que roga por novas eleições sob a fiscalização deste Juízo, bem como as prestações de contas das anuidades que habilitam as inscrições e a prestação de contas das inscrições que habilitam à AGO. Pelos autores ROBERTO SOUZA DA SILVA e JOÃO GOMES foi dito que requerem a nomeação de representante judicial de confiança deste Juízo para condução das novas eleições, a fim de evitar eventuais fraudes. 

Pela ré CGADB foi dito que, tendo em vista a discordância da requerida pela realização de novas eleições, requer que se digne determinar a realização de perícia técnica dentro dos parâmetros legais para que seja aferida a veracidade da existência ou não de fraudes no processo eleitoral. Requer também que tal nomeação, se assim entender esse nobre magistrado, se dê após a sua manifestação escrita juntando toda a documentação pertinente, pugnando pela manutenção da administração da entidade como já anteriormente decidido. Requer, ainda, prazo para juntada de documentação.

Pela ré SCYTL SOLUÇÕES DE SEGURANÇA E VOTO ELETRÔNICO LTDA foi dito que, sem prejuízo de manifestação por escrito que demonstrará que houve a conclusão da votação sem qualquer interrupção do processo de votação, esclarece que, em caso de novas eleições, entende que não faz parte de sua responsabilidade contratual, uma vez que já deu cumprimento integral ao contrato anteriormente firmado. Requer, ainda, prazo para juntada de documentação. 

Pelo réu JOSÉ WELLINGTON BEZERRA DA COSTA JUNIOR nada foi dito. 

Pelo interessado EMPRESA DE AUDITORIA INDEPENDENTE TPL - THE PERFECT LINK, na pessoa de seu representante FERNANDO DE PINHEIRO BARREIRA, foi requerida a juntada do relatório de auditoria eleitoral. Foi dito ainda que o contrato é somente para uma eleição. 

Pelo juiz foi proferida a seguinte decisão: Defiro o prazo de cinco dias para a juntada da documentação pertinente, conforme requerido pela CGADB e SCYTL. Defiro, ainda, a juntada aos autos do laudo de auditoria apresentado pela empresa de auditoria independente TPL, sendo certo que será dado vista as partes após a manifestação das rés CGADB e SCYTL. No mais, aguardem-se as manifestações e voltem conclusos. Nada mais havendo, foi encerrada a presente, 

ficando ciente as partes de que THOMAZ DE SOUZA E MELLO JUIZ DE DIREITO Autor ISAMAR PESSOA RAMALHO Adv SORAYA RIBAS SAMPAIO BARROS Adv IGOR LEONARDO ALVES SOARES DA SILVA Réu CGADB Adv PAULO RODRIGUES DE MORAIS Adv ABIEZER APOLINARIO DA SILVA Adv DAFNIS GOMES DA SILVA Adv JORGE HELIO CHAVES DE OLIVEIRA Adv RICARDO PEREIRA GOIS Adv: PATRICIA DE SOUZA GONÇALVES Adv ARTHUR CARLOS LESSA FILHO Réu JOSÉ WELLINGTON BEZERRA DA COSTA JUNIOR Adv MURILO VINHAL RODRIGUES Autor ROBERTO SOUZA DA SILVA Autor JOÃO GOMES Adv CLAUDIO RENATO DE LIMA DIAS Adv VALSUI CLAUDIO MARTINS Adv CAROLINA SALLES SIMONI Adv ALLAN BARCELLOS LUIZ DE OLIVEIRA Réu SCYTL SOLUÇÕES DE SEGURANÇA E VOTO ELETRÔNICO LTDA Adv ANDREA ZOGHBI BRICK Adv CAROLINE FORTUNATO DOS SNATOS VENTUROLI INTERESSADO TPL - Dr. Fernando de Pinheiro Barreira



.






.

quarta-feira, maio 03, 2017

A síndrome do Rei Salomão

..
João Cruzué

.
Que grande paradoxo seria você empenhar uma vida inteira em projetos grandiosos e depois de muitos anos de sacrifício, o grande "conquistador" para, olha para trás e reflete. Súbito, uma sombra de tristeza invade sua alma. Em poucos segundos, aquilo que tinha tanta importância, motivo de tanto orgulho você, muda rapidamente diante de seus olhos e  descobre que tudo aquilo, agora, não lhe traz nenhum contentamento. Estranho este jeito de querer e depois se aborrecer. Foi exatamente assim que o Rei Salomão se sentiu. Depois, deixou tudo escrito no livro de Eclesiastes, para quem quisesse ler.
.
"Fiz para mim obras magníficas; edifiquei casas, plantei vinhas. Fiz para mim hortas e jardins e plantei árvores de toda espécie de fruto. Fiz para mim tanques de águas, para regar com eles o bosque em que reverdeciam as árvores. Adquiri servos e servas e tiver servos nascidos em casa. Também tive grandes manadas de gado e ovelhas, mais do que todos os que houve antes de mim em Jerusalém.

"Amontoei também para mim prata e ouro, e jóias de reis e das províncias. Provi meu de cantores e de cantoras, e das delícias dos filhos dos homens, e de instrumentos de música de toda sorte. E engrandeci-me e aumentei mais do que todos os que houve antes de mim em jerusalém. Perseverou também comigo minha sabedoria."

"E tudo quando desejaram os meus olhos não lhos neguei, nem privei o meu coração de alegria alguma, mas o meu coração se alegrou por todo o meu trabalho, e esta foi a minha porção de todo o meu trabalho. E olhei para todas as obras que fizeram as minhas mãos, como também para o trabalho que eu, trabalhando tinha feito e eis que tudo era vaidade e aflição de espírito."

E por que será que depois de tudo aquilo veio a frustração e o fastio? Bom, se você leu os textos compilados já deve ter percebido quantas vezes foi citado a frase: PARA MIM! Ele deve ter se frustrado porque quando seu egoísmo passou e a "ficha" caiu, percebeu que tudo que tinha feito, foi apenas para si próprio. O resultado dos projetos e obras no fim, foi como o fio de fumaça da luz de uma vela depois que se apaga.

Assim também, tenho certeza que, em meus dias, a decepção com as conquistas de uma vida inteira pode ser uma realidade. E não pode ser diferente quando se corre apenas atrás de coisas do tipo "só para mim".

A visão de Salomão de quase 3.000 anos ainda se repete com muita frequência, hoje,  porque há muitos castelos que estão sendo construídos com areia do egoísmo. Logo eles se desmoronam e se  apresentam como nada ante os olhos de seus donos.

Em um país onde a desigualdade social chega a ser  como a do Haiti, é um pecado ver tantos "conquistadores" que desperdiçam uma vida inteira correndo atrás de coisas "só para mim" e não conseguem ver que ali bem perto deles existem seres humanos procurando migalhas de pão caídas de mesas fartas e contas bancárias recheadas.

Imagino que, depois de velhos, não tenham mesmo contentamento algum!


Texto escrito em 06 de agosto de 2010.

.